VESTIBULARES E BOLSAS 

 Fuvest 

  A Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest) é a instituição responsável pela elaboração do vestibular da Universidade de São Paulo (USP), considerado o segundo maior processo de seleção universitária do Brasil. Na última edição, mais de 129 mil candidatos se inscreveram na prova. 

Como é a prova da Fuvest?

  O vestibular da USP é dividido em duas fases, sendo a primeira de múltipla escolha e a segunda com questões dissertativas. Veja como é cada etapa do processo seletivo:

 

1ª fase da USP

  Com cinco horas de duração, a prova possui 90 questões de múltipla escolha. As disciplinas cobradas no exame são: matemática, português, biologia, física, química, geografia, história e inglês. Além disso, é possível encontrar algumas questões interdisciplinares. 

  Essa primeira fase serve para selecionar os candidatos que poderão prosseguir na seleção, além de servir como uma das três notas que serão consideradas para formular a classificação final.

2º fase da USP

  A segunda fase é dividida em dois dias, em que os candidatos terão que responder questões dissertativas.

  •  1º dia: são cobradas 10 questões de português e uma redação dissertativa-argumentativa. 

  • 2º dia: são cobradas 12 questões sobre duas a quatro disciplinas, que serão divididas igualmente, dependendo da escolha de carreira do candidato na inscrição. 


  Essas duas provas são as outras duas notas que, juntamente da primeira fase, calculará a nota final do candidato. 

 

  O Exame Nacional do Ensino Médio foi criado em 1998 com o objetivo de diagnosticar a qualidade do ensino médio no país. Em 2009, o exame ganhou uma nova função: tornando-se hoje ferramenta para concessão de bolsas de estudo parciais e integrais em faculdades particulares, através do Programa Universidade Para Todos (Prouni).

  E não para por aí. O Enem é também o método utilizado para que estudantes obtenham os financiamentos disponibilizados pelo governo federal: Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e Programa de Financiamento Estudantil (P-Fies). O exame contempla ainda estudantes de cursos técnicos por meio do Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec). Todos os anos milhares de estudantes realizam a avaliação.

 

Como acontece a prova do Enem?

 

  Atualmente, as provas do Enem são realizadas em dois domingos consecutivos, com duas aplicações diferentes, uma para modalidade impressa e outra para versão digital. No primeiro dia, os estudantes têm de responder questões de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias; Ciências Humanas suas Tecnologias, e fazer a Redação, totalizando 5 horas e 30 minutos.

 

 Já no segundo dia, é a vez dos candidatos testarem seus conhecimentos em conteúdos ligados às Ciências da Natureza e suas Tecnologias, além de Matemática e suas Tecnologias, nessa etapa, o tempo para realização das provas é menor: 5 horas.

 enem 

prOUNI 

O Programa Universidade para Todos (ProUni) é uma iniciativa do governo federal para facilitar o acesso de alunos carentes ao ensino superior. Criado em 2004, o ProUni oferece bolsas de estudos de 50% ou 100% da mensalidade em faculdades particulares.

O ProUni acontece duas vezes por ano: uma no primeiro e outra no segundo semestre.


Para se inscrever no programa de bolsas é imprescindível que o estudante tenha feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e obtido pelo menos 450 pontos de média nas notas. Não pode ter tirado nota zero na redação. 

As inscrições para o ProUni são feitas apenas pelo site do programa. Para conseguir se cadastrar é preciso informar o CPF, número de inscrição do Enem 2013 e a senha. Se o estudante estiver cadastrado no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), deve usar a mesma senha utilizada no programa. 

Para fazer inscrição: As inscrições serão feitas em uma etapa, apenas pelo site do ProUni. Serão requisitados o CPF, o número de inscrição no Enem 2013 e a senha cadastrada no site do Enem.

Ao entrar no site, o estudante escolhe, por ordem de prioridade, até duas opções de cursos de seu interesse em uma ou mais instituições e o tipo de bolsa (integral ou parcial). Durante o período de inscrição, o candidato poderá alterar suas opções, se assim desejar. Será considerada válida a última inscrição realizada.

No final do prazo de inscrição, caso haja mais alunos do que vagas, o ProUni selecionará os candidatos melhores classificados em cada curso, por modalidade de concorrência, de acordo com suas notas no Enem.

 

Nota de corte: Uma vez por dia, o ProUni calcula a nota de corte (menor nota para ficar entre os potencialmente selecionados) para cada curso - com base no número de vagas disponíveis e nas notas dos candidatos inscritos naquele curso. Com isso, o estudante pode saber se a sua nota lhe permite obter a bolsa na faculdade que e, se não, alterar suas opções.

Vestibular: O candidato não precisa fazer o vestibular da instituição de ensino que está pleiteando a bolsa do ProUni, a inscrição para conseguir a bolsa é feita a partir da nota do Enem.

Mas, fique atento, algumas instituições participantes optam por aplicar provas de seleção aos candidatos pré-selecionados pelo ProUni. Essa prova é isenta de cobrança de taxa. No momento da inscrição no ProUni, o candidato fica sabendo se a faculdade para a qual quer se inscrever aplica o exame de seleção.

 

Tipos de bolsas: O ProUni oferece dois tipos de bolsas: integral e parcial (50% da mensalidade). A bolsa integral é para estudantes com renda familiar, por pessoa, de até um salário mínimo e meio. A bolsa parcial é destinada aos estudantes com renda familiar, por pessoa, de até três salários mínimos.

As bolsas do ProUni valem para toda a duração do curso, mas para continuar recebendo o benefício o estudante precisa ser aprovado, no mínimo, em 75% das disciplinas cursadas em cada período letivo.
Atendendo aos requisitos: Além de ter a nota mínima no Enem, para ter a bolsa do ProUni o estudante precisa:

- ter renda familiar, por pessoa, de até três salários mínimos;

- ter cursado todo o Ensino Médio em escola pública ou ter cursado parte ou todo o Ensino Médio em escola privada com bolsa integral;

- ser portador de deficiência física;

- ser professor da rede pública de ensino básico, concorrendo a vagas em cursos de licenciatura, normal superior ou pedagogia. 

Calendário: Ao fim das inscrições, os estudantes terão um período para efetuarem as matrículas nas faculdades que conseguiram bolsa.

 

Atenção! Os resultados do processo seletivo do ProUni são disponibilizados na Internet, no site do programa, pelo telefone 0800 616161 e pelas próprias instituições participantes do ProUni. É de inteira responsabilidade dos candidatos pré-selecionados observar o cumprimento dos prazos estabelecidos, bem como o acompanhamento de eventuais alterações.

Matrícula: Após ter sido pré-selecionado pelo ProUni, o estudante deve comparecer à secretaria da instituição de ensino para qual foi aprovado, portando os documentos necessários para comprovar as informações mencionadas na ficha de inscrição.

Depois que todas as informações são checadas, o estudante assina o Termo de Concessão e é inserido no programa de bolsa.

SISU 

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) é um programa do governo federal, que teve sua primeira edição em 2010, que seleciona estudantes para instituições federais e estaduais de ensino superior.

O Sisu acontece duas vezes ao ano: no primeiro e no segundo semestre. Participam do Sisu 2014/2 (relativo ao segundosemestre de 2014) 67 instituições de ensino superior, entre universidades federais, universidades estaduais e institutos federais de educação, ciência e tecnologia e uma instituição isolada, totalizando 51.412 vagas.

Para poder se candidatar no Sisu 2014/2 é imprescindível que o estudante tenha feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2013 - e não tenha zerado na redação. É a partir da nota no exame que o candidato poderá pleitear uma vaga em uma instituição de ensino superior. 

Para se candidatar às vagas é necessário acessar o site do Sisu, informar o número de inscrição no Enem e escolher, por ordem de preferência, até duas opções nas vagas ofertadas pelas instituições participantes do programa.


 O candidato poderá inscrever-se, por ordem de preferência, em até duas opções, nas vagas ofertadas pelas instituições participantes do programa. Durante o período de inscrição, o candidato poderá alterar suas opções, se assim desejar. Será considerada válida a última inscrição realizada.

No final do prazo de inscrição, o Sisu selecionará os candidatos melhor classificados em cada curso, por modalidade de concorrência, de acordo com suas notas no Enem. O Sisu realiza duas chamadas  ( no inicio e no meio do ano corrente, verificar datas no site do SISU)

 

Documentos: Para se inscrever no Sisu o candidato precisa somente do número de inscrição e da senha cadastrada no Enem 2013. No entanto, o candidato deve atentar aos documentos exigidos pela instituição que escolheu para a efetivação da matrícula, em caso de aprovação.

Notas do Enem: O Sisu recupera as suas notas do Enem automaticamente, no momento em que você insere no sistema seu número de inscrição e senha do Enem.

Cotas: Todas as universidades federais, institutos federais de educação, ciência e tecnologia e centros federais de educação tecnológica participantes do Sisu terão no mínimo 25% de suas vagas reservadas para estudantes que cursaram o ensino médio em escolas públicas, seguindo as regras da Lei de Cotas, instituída em 2012. Há instituições participantes do Sisu que disponibilizam, ainda, uma parte de suas vagas para políticas afirmativas próprias. 

Assim, em determinados cursos, pode haver três modalidades de concorrência: vagas de ampla concorrência, vagas reservadas de acordo com a Lei de Cotas e vagas destinadas às demais ações afirmativas da instituição. O candidato deverá, no momento da inscrição, optar por uma destas modalidades, de acordo com seu perfil. 

Dessa forma, durante as duas chamadas do Sisu, o candidato que optar por uma determinada modalidade de concorrência estará concorrendo apenas com os candidatos que tenham feito essa mesma opção, e o sistema selecionará, dentre eles, os que possuírem as melhores notas no Enem de 2013. 

É de responsabilidade do candidato se certificar de que atende os requisitos exigidos para concorrer a uma vaga destinada a política afirmativa e se possui os documentos que serão exigidos pela instituição de ensino no momento da matrícula, em caso de aprovação. A documentação necessária será informada pelo sistema, juntamente com os demais documentos exigidos para matrícula, quando o candidato clicar na sua opção de curso.

Peso do Enem: Algumas instituições participantes do Sisu adotam pesos diferenciados para as provas do Enem. Esta informação estará disponível para o candidato no momento da inscrição. Quando o candidato se inscreve para cursos em que a instituição adotou peso diferenciado para determinada prova do Enem, o sistema fará automaticamente o cálculo, de acordo com as especificações da instituição, gerando uma nova nota. Por isso, um candidato pode ter notas diferentes para cursos diferentes.

Nota de corte: Uma vez por dia, o Sisu calcula a nota de corte (menor nota para ficar entre os potencialmente selecionados) para cada curso - com base no número de vagas disponíveis e nas notas dos candidatos inscritos naquele curso. Ressalta-se que a nota de corte é apenas uma referência para auxiliar o candidato no monitoramento de sua inscrição, não sendo garantia de seleção para a vaga ofertada.

Desempate: No caso de notas iguais, o desempate entre os candidatos será efetuado segundo:

1) nota da redação;

2) nota da prova de Linguagens, Códigos e Suas Tecnologias;

3) nota da prova de Matemática e suas Tecnologias;

4) nota da prova de Ciências da Natureza e suas Tecnologias;

5) nota da prova de Ciências Humanas e suas Tecnologias; e

6) antecedência de inscrição definitiva na respectiva etapa de seleção do Sisu.

Comprovante de inscrição: O candidato pode imprimi-lo ao término da inscrição.

Mudança de ideia: o candidato pode, durante o período de inscrição, modificar sua opção quantas vezes quiser. É importante ressaltar que o Sisu considera a última inscrição concluída

FIES 

   Criado pelo governo federal em 1999, o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) é um programa do Ministério da Educação (MEC) que viabiliza o ingresso ao ensino superior. Destinado ao financiamento da graduação de estudantes que não têm condições de pagar as mensalidades das faculdades da rede de ensino privada. Como se trata de um empréstimo, ao concluir o curso, o estudante beneficiário terá de pagar a dívida. 

 

  O programa de financiamento passou por diversas reformulações ao longo dos anos e, em uma das suas últimas mudanças, passou a ser conhecido como o Novo Fies. Intitulando-se como um financiamento mais moderno.

  Com isso, alguns pontos do projeto foram reajustados. O programa passou a ser dividido em três diferentes modalidades a modalidade Fies (ou modalidade I) e a modalidade P-Fies ou (modalidade II e III). Na categoria I o financiamento é ofertado diretamente do governo ao estudante, tendo, por isso, um baixo custo. Já na categoria P-Fies o financiamento é ofertado pelas instituições financeiras, mas com recursos públicos. Por isso, são capazes de ofertar um financiamento mais barato que o mercado, no entanto, mais caro que o da modalidade I. 

  Quem pode participar?

  Podem participar do Fies candidatos que tenham realizado a prova do Enem a partir de 2010 e obtido uma pontuação mínima de 450 (quatrocentos e cinquenta) pontos na soma das provas objetivas e nota maior que zero na redação. O curso da instituição de ensino para qual o candidato pretende obter o financiamento deve ter uma avaliação positiva pelo Ministério da Educação (MEC). 

 

  Os estudantes contemplados com uma bolsa parcial (50%) do Programa Universidade Para Todos (Prouni), e que não tenham condições de arcar com a outra metade das mensalidades do curso também podem solicitar o financiamento do Fies. Saiba mais como realizar a inscrição nessa modalidade no site do Fies

 

  Além desses requisitos, existe o critério socioeconômico para cada uma das categorias do programa, se estabelecendo da seguinte forma:

 

  •  Modalidade Fies (ou modalidade I): estudantes que tenham renda per capita mensal familiar de até três salários mínimos;

  • Modalidade P-Fies: estudantes que tenham renda per capita mensal familiar de até cinco salários mínimos (mudanças a partir de 2020.).